;-)

sábado, 17 de setembro de 2011

Instagram

 Instagram deixa as fotos do iPhone estilosas


    Foto tirada pelo brasileiro Mike Krieger, um dos fundadores do Instagram; aplicativo para iPhone aplica efeitos em imagens
    Foto tirada pelo brasileiro Mike Krieger, um dos fundadores do Instagram; aplicativo para iPhone aplica efeitos em imagens
Criado pelo brasileiro Mike Krieger e seu amigo Kevin Systron, o aplicativo Instagram para iPhone é a salvação de quem não manda muito bem nas fotos de celular. O trunfo do programa é que ele dá várias opções de filtros para as imagens (como esta acima), deixando, mesmo as fotos ruins, bem estilosas.

Gratuito, o Instagram também é uma espécie de rede social na qual os usuários podem ver as fotos tiradas por seus amigos e fazer comentários sobre elas. Além disso, qualquer imagem alterada no aplicativo pode ser compartilhada em outras redes sociais como Twitter, Facebook, Flickr, Tumblr, Posterous e Foursquare. 

O aplicativo e serviço de compartilhamento de fotos Instagram foi liberado na loja de aplicativos da Apple no dia 6 de outubro de 2010. Desde então, o serviço já atingiu a marca de 150 milhões de imagens compartilhadas por 7 milhões de usuário em todo o mundo. As informações foram passadas pela própria empresa nesta quarta-feira (3).
Criado pelo brasileiro Mike Krieger e seu amigo Kevin Systron, o Instagram, além de estilizar fotos tiradas por iPhone e iPods touch, é uma rede social na qual os usuários podem postar, comentar e visualizar fotos de amigos. Além disso, qualquer imagem alterada com os efeitos do aplicativo pode ser compartilhada em outras redes sociais como Twitter, Facebook, Flickr, Tumblr, Posterous, Posterous e Foursquare.
O serviço de imagens, que tem uma média de 15 fotos postadas por segundo, ficou popular até com celebridades. No mês passado, por exemplo, o cantor Justin Bieber postou sua primeira imagem no serviço e conseguiu somar uma média de 10 comentários a cada dez segundos.
“Há fotos do Instagram clicadas em grandes eventos, como o Grammy, e até imagens de registros de fatos que viraram notícia. Artistas e celebridades passaram a dar uma visão única aos fãs sobre suas vidas por meio das imagens postadas no serviço”, diz o site oficial do aplicativo.
Um fotógrafo canadense virou alvo de uma série de críticas graças a um projeto que não passava de uma brincadeira descontraída: ele obteve uma série de fotografias famosas produzidas por "mestres" das lentes e passou todas elas pelo Instagram, fazendo-as parecer que foram tiradas na época atual, com iPhones, e "transformadas" em imagens antigas pelos filtros do serviço. O resultado está publicado em um Tumblr (veja neste atalho: http://bit.ly/niCPxT), e causou uma enxurrada de reclamações. Mas, para a surpresa do fotógrafo, não foi dos autores, mas de seus fãs.

Modificação de Emond com Instagram da imagem "Bala atravessa Maçã" (Bullet through Apple, no original), do engenheiro norte-americano Harold E. Edgerton, que está no Museu Americano de Arte Smithsonian


Andrew Emond é um fotógrafo baseado em Montreal, que tem em seu portfólio uma investigação cuidadosa sobre a complexidade dos ambientes artificiais criados pelos seres humanos, principalmente edifícios industriais e infraestrutura urbana. Seu ensaio sobre os esgotos de uma grande cidade (disponível neste atalho: http://bit.ly/rfb0ho) rendeu um documentário. Até aqui, deu para perceber que se fala de um sujeito sério e com um sólido conjunto de trabalhos autorais.
Mas o projeto paralelo parece estar chamando mais atenção do que o trabalho do profissional. Em seu Twitter, o fotógrafo comenta: "Tenho sido xingado por causa do Tumblr, acerca do que consideram desrespeito, violação de copyright, apropriação etc. Isso é interessante e um pouco inesperado". O canadense aproveita as críticas para levantar questões sobre direitos autorais e trabalhos remixados. "Obras de música e vídeo são recriadas, alteradas e recombinadas por outras pessoas o tempo todo, como podemos ver no YouTube em particular, sem que isso cause quaisquer reclamações. Por que seria diferente com a fotografia?", questiona.
 
Porém  Twitter inaugurou um serviço que permite aos usuários postarem imagens diretamente desde seu computador ou dispositivo móvel, algo que até agora só podia ser feito mediante aplicativos de terceiros.

Os usuários da rede social poderão compartilhar imagens de até 3 mega ao clicar em um novo ícone, em formato de câmera, que aparece na tela principal de navegação.

Cada nova imagem é publicada em forma de "tweet", e nas próximas semanas o Twitter irá lançar galerias de imagens para recolher as imagens de cada usuário, informa o site da companhia.

Desde seu começo, o Twitter se caracterizou por ser uma ferramenta multimídia na qual os usuários compartilham imagens, vídeos e música, mas até agora isso só era possível mediante aplicativos de terceiros, como o Twitpic, o yFrog e o Instagram.